Falando na sessão de abertura das XVI Jornadas Autárquicas das Regiões Ultraperiféricas da União Europeia e Cabo Verde a decorrer, na Lagoa – Açores, o Presidente do Conselho Executivo da AMRAM, Ricardo Nascimento, disse que “Importa olhar o presente e perspetivar o futuro. Esse perspetivar deverá ter sempre presente a modernização, a relação pessoas-tecnologia que partem os grandes desafios para que resultem simbioses, com dividendos a todos os níveis. É alias esta postura de apelo à inteligência, criatividade, autonomia, conhecimento e empatia, como alavancas para colmatar as necessidades deste novo conceito de apoio à Modernização Administrativa dos municípios, que no meu entender podem contribuir para a inteligência coletiva e colocar a inteligência artificial ao serviço das pessoas, em termos globais”.

Na ocasião o Presidente da AMRAM, destacou a importâncias das Jornadas Autárquicas no estreitar das relações entre as autarquias permitindo criar uma plataforma consistente e permanente de defesa dos interesses das populações destas regiões. Fruto deste projeto, estamos mais unidos, mais juntos, mais solidários e menos isolados para fazer prevalecer as nossas posições. O facto de vivermos numa ilha, de sermos ultraperiféricos, não pode ser uma fatalidade, pelo contrário, deverá ser um desafio em potencializar as nossas especificidades e olhar o futuro com confiança e esperança.

Destacou ainda a importâncias das Jornadas Autárquicas na promoção da cooperação entre os municípios das RUP’s, permitindo divulgar as melhores práticas municipais nas mais diversas áreas, nomeadamente ao nível da modernização administrativa. A modernização administrativa no contexto local assume uma importância ímpar e estratégica. Estas nova realidade, orientada para os munícipes, tem contribuído para a melhoria da qualidade de vida dos munícipes, para a transparência e imagem das autarquias, sendo um facilitador da economia local.

Disse ainda que “importa olhar o presente e perspetivar o futuro. Esse perspetivar deverá ter sempre presente a modernização, a relação pessoas-tecnologia que partem os grandes desafios para que resultem simbioses, com dividendos a todos os níveis. É alias esta postura de apelo à inteligência, criatividade, autonomia, conhecimento e empatia, como alavancas para colmatar as necessidades deste novo conceito de apoio à Modernização Administrativa dos municípios, que no meu entender podem contribuir para a inteligência coletiva e colocar a inteligência artificial ao serviço das pessoas, em termos globais.

O evento insere-se no âmbito das atividades do Projeto JARUP III – Reforço da Capacidade Institucional” (MAC/5.11a/179), inserido no Eixo 5: Melhorar a capacidade institucional e a eficiência da administração pública, cofinanciado pelo FEDER, em 85%, através do Programa de Cooperação Territorial INTERREG MAC 2014-2020, que tem como parceiros as Associações de Municípios da Madeira, Açores, Canárias e Cabo Verde.